quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Relacionamento a distância



Estudos comprovaram que relacionamentos à distância são tão satisfatórios quanto os presenciais, em termos de comunicação, intimidade e comprometimento.

corcovado, e o chapéu de sol (Antes da construção do Cristo redentor).


Historia do Cristo redentor


A inauguração desse monumento de números fantásticos aconteceu em 12 de agosto de 1931. O Cristo Redentor tem 38 metros de altura, peso de 1145 toneladas e está localizado no topo do morro Corcovado, a 710 metros do nível do mar, no Parque Nacional da Tijuca. Realmente o Cristo representa uma das mais belas visões que alguém pode ter, e é um verdadeiro ícone do turismo brasileiro.
Tanto que, em 2007, o monumento do Cristo foi eleito uma das maravilhas do mundo.
A história dessa maravilha remete a uma ideia que vem do ano 1859. Numa visita ao Rio de Janeiro, o padre Pedro Maria Boss, sugeriu que fosse erguido no topo do morro do Corcovado um monumento religioso.
Essa sugestão foi levada à princesa Isabel, que deu o primeiro apoio oficial ao projeto. Mas isso só veio a tornar-se realidade depois de 1912, quando o Cardeal Dom Joaquim Arcoverde, passou a perseguir a idéia da construção de um Cristo para mostrar que a Igreja católica estava presente entre o povo brasileiro.
Em 1921 o projeto do Cristo Redentor foi retomado, tendo como foco as comemorações do Centenário da Independência do Brasil. O morro do Corcovado foi escolhido para abrigar o monumento por se tratar do local mais alto da cidade.
Em 1922, um abaixo-assinado com mais de 20 mil nomes solicitou ao presidente Epitácio Pessoa que a estátua fosse construída. O presidente, então, doou o topo do Morro do Corcovado para a construção do monumento.

A pedra fundamental do Cristo Redentor foi lançada no dia 4 de abril de 1922. E em 1923, o projeto do engenheiro Heitor da Silva Costa foi escolhido para a obra.
A imagem do Cristo foi desenhada pelo artista plástico Carlos Oswald e projetada pelo arquiteto francês Paul Landowsky.
A campanha que arrecadou fundos para a construção do Cristo durou dez anos e o monumento foi feito com esse dinheiro. Ao contrário do que muitos pensam, o Cristo não foi construído com doações da França, e muito menos foi um presente do governo francês para o Brasil.
A obra iniciou-se em 1926, e toda a montagem durou cinco anos, sendo finalizada em 1931.

fonte:https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=957412927709786&id=306463639471388&substory_index=0

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Pokémon GO


Em menos de 24 horas o jogo Pokémon GO alcançou 50 milhões de usuários no Brasil, isso apenas no Android, o aplicativo também é um dos mais baixados da AppStore.
Como o Brasil tem 200 milhões de habitantes, isso significa que a cada 4 pessoas que você vê na rua ao menos 1 está jogando Pokémon!


segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Stephen Hawking experimentando a gravidade zero, em 2007


O astrofísico britânico, que passou a vida refletindo sobre a gravidade no Universo, ficou por alguns minutos livre de sua cadeira de rodas e experimentou a falta de gravidade,.
"Foi assombroso... Podia ter continuado sem parar", relatou Hawking, de 65 anos, após aterrissar de uma viagem de duas horas em um Boeing 727-200 modificado e de paredes acolchoadas que, voando em parábolas como uma montanha-russa, produz períodos de ausência de gravidade.

A nave decolou esta tarde do Cabo Cañaveral, sob o comando de pilotos especialmente treinados, que subiram em um ângulo de 45 graus até os 10.000 metros de altitude, antes de descer, abruptamente, a 2.500 metros, dando aos passageiros 30 segundos de falta de gravidade.
O avião repetiu a manobra oito vezes, dando a Hawking um total de quatro minutos de ausência de gravidade.
Hawking, titular da Cátedra Lucasiana de Matemática da Universidade de Cambridge - cargo que foi ocupado por sir Isaac Newton - sofre de uma doença degenerativa, a esclerose lateral amiotrófica, diagnosticada quando ele tinha 22 anos.Hawking depende de um computador e de um sintetizador para falar. A doença o mantém preso a uma cadeira de rodas, mas não impediu que o cientista desenvolvesse trabalhos sobre cosmologia teórica, gravidade quântica, a natureza do espaço e do tempo, a teoria do "Big Bang" e os buracos negros.
Quatro médicos e duas enfermeiras acompanharam o cientista a bordo do avião "G-Force One", conhecido popularmente como "vomit comet" (cometa do vômito), devido aos efeitos desagradáveis que os passageiros que se submetem à experiência podem sentir.

A Corporação Gravidade Zero (Zero-G), operadora do avião, normalmente cobra 3.500 dólares por passageiro por um vôo de 90 minutos, mas o catedrático da Universidade de Cambridge viajou de graça, enquanto os outros oito lugares na aeronave foram leiloados, e o dinheiro, destinado a obras de caridade.
Os vôos comerciais da Zero-G são similares aos que a agência espacial americana (Nasa) realizou nos últimos 40 anos para treinar astronautas. A Zero-G diz que a experiência dentro do avião é similar à de um salto em queda livre antes de se abrir o pára-quedas.

O esporte sempre ensinando



Na foto, Meghan Vogel, 17 anos, ajuda Arden McMath a atravessar a linha de chegada. Meghan estava em último lugar quando chegou nos últimos metros do prova. A sua frente estava McMath, que se sentiu mal e caiu. Ao invés de passar na frente, Meghan levantou Arden e ajudou-a a chegar na linha de chegada. Apesar de terem ficado em último lugar, a atitude da corredora solidária foi muito aplaudida por todos os espectadores.

Ainda existe amor



Durante uma caminhada na orla de uma das praias do Rio de Janeiro, um homem retira as próprias sandálias e dá para uma moradora de rua descalça.

domingo, 31 de julho de 2016

Pioneiro em transplantes cardíacos na Polônia



Zbigniew Religa, pioneiro em transplantes cardíacos na Polônia, continua observando um monitor cardíaco mesmo após uma longa noite, onde realizou dois transplantes seguidos.
Dr. Religa aprendeu a fazer transplantes estudando livros estrangeiros e executou o primeiro da história polonesa em 1987.
Ao fundo, uma de suas assistentes dorme exausta.
Nesse ano, a imagem registrada por James Stanfield foi considerada a Foto do Ano na National Geographic.

Memorial Day



Dia 27 de maio de 1983, durante a semana do Memorial Day nos Estados Unidos, a Sra. Dorris Fielder abraça a lápide de seu falecido marido Cecil Fielder, no cemitério nacional Fort Logan, em Denver. Fielder foi um veterano da Força Aérea Americana e participou da Segunda Guerra Mundial, da Guerra da Coréia e da Guerra do Vietnã. A fotografia, tirada por Anthony Suau para o jornal The Denver Post, ganhou o prêmio Pulitzer em 1984 na categoria "Feature Photography".
O Memorial Day é um feriado nacional americano que acontece anualmente na última segunda-feira do mês de maio e homenageia os militares americanos que morreram em combate.

Fonte: https://www.facebook.com/Fatos-Hist%C3%B3ricos-306463639471388/?fref=ts

GP Brasil de 1991: A vitória mais emocionante de Senna



GP Brasil de 1991: A vitória mais emocionante de Senna
Logo no início da década, depois de muitas tentativas e frustrações, Senna finalmente conseguiu a tão sonhada vitória no Brasil, um triunfo que até hoje é considerado por muitos fãs como o mais heroico de sua carreira. A corrida, no traçado mais curto, tinha 71 voltas. A partir da metade da prova, conforme o piloto contou em entrevistas, a quarta marcha do seu carro começou a falhar.Faltando 20 voltas do fim, a pane foi total e ele não engatou mais, de modo que, para subir da terceira para a quinta, era preciso fazer muito esforço físico. A oito voltas da bandeira quadriculada, a quinta e a terceira marchas também falharam e somente a sexta passou a funcionar. E assim, segundo Ayrton, o carro foi levado até o final, chegando apenas 2s à frente de Patrese, que se aproximava rapidamente, se aproveitando da lentidão do brasileiro nas voltas finais.
Após cruzar a linha final, Senna permaneceu no carro, sem forças para sair. Depois, auxiliado, entrou em um carro da organização e foi para os boxes. No pódio ficou evidente seu esforço para obter a vitória. Ele mal conseguiu levantar a taça, precisando de ajuda para fazê-lo.
A chegada do GP do Brasil de 1991 entrou para a história como uma das mais emocionantes. Um microfone colocado dentro do capacete de Senna transmitiu toda a alegria do brasileiro ao vivo pela TV. Em êxtase, ele gritava sem se importar com os palavrões sendo transmitidos para todo o Brasil. As arquibancadas de todo o autódromo estavam em festa.
Os comissários de pista comemoravam pulando e se abraçando perto do carro de Senna, que, exausto, parou na reta oposta, onde foi atendido por médicos e proporcionou uma imagem impressionante. Sem o capacete, o que se via era um piloto esgotado dentro do carro. Ele afirmou, em entrevista posterior, que o esforço físico com o câmbio quebrado o fez sentir uma das piores dores de sua vida.
A primeira vitória brasileira de Ayrton Senna materializou-se de uma união de fé, dor, realização e competência. O piloto completou as 71 voltas da prova em 1h38min28s128, recebendo a bandeirada com 2s991 de vantagem sobre o italiano Riccardo Patrese, da Williams, o segundo lugar.
O fato da corrida ter possuído um final dramático, com a perda de quase todas as marchas de sua McLaren e o consequente desgaste físico acima do normal, fazendo com que ele não conseguisse sair do carro sozinho, fez dessa corrida uma das mais lembradas da carreira do piloto brasileiro.

Fonte: https://www.facebook.com/Fatos-Hist%C3%B3ricos-306463639471388/?fref=ts

Historia da Rede Manchete



REDE MANCHETE, que estaria completando 33 anos de atividade em 2016, caso ainda estivesse no ar
A emissora, que estreou no dia 5 de junho de 1983, foi encerrada em 10 de maio de 1999 após uma sucessão de erros de planejamento, os quais acarretaram em milionárias dívidas. Salários atrasados, investimentos mal sucedidos, aliados à queda drástica de audiência e a fuga de profissionais renomados para canais com maior estabilidade, como a Globo, Record e SBT, culminaram no encerramento de suas atividades menos de 20 anos após sua inauguração.
Com um pacote gráfico futurístico e inovador, a Manchete prometia revolucionar a televisão brasileira. Na sua noite de estreia, foi exibido o filme "Contatos Imediatos do Terceiro Grau", de Steven Spielberg, que impôs a primeira grande e amarga derrota à Globo no Rio por um placar de 27 a 12 pontos.
A Rede Manchete apostou em uma dramaturgia inovadora e diferente da que a Globo levava ao ar, investindo na contratação de nomes em ascensão no canal carioca e emplacando novelas de bons resultados, como "Kananga do Japão", "A História de Ana Raio e Zé Trovão", "Mandacaru" e "Xica da Silva", porém seu grande sucesso foi "Pantanal". "Pantanal" chegou a ser apresentada à Globo anos antes de Benedito assinar com a Manchete, mas acabou preterida pela direção da emissora. Entre as supostas alegações estavam o alto custo que seria deslocar uma equipe de gravação para um local tão distante e desprovido de estrutura, como o pantanal mato-grossense.
A programação infantil sempre teve destaque e a rede foi uma das poucas a investir em animes japoneses e em séries como "Cavaleiros do Zodíaco", "Jaspion", Sailor Moon", entre outros.
Com grande foco na política, economia e diferenciando-se por não ceder à apelação policial, a Manchete também teve um jornalismo de bastante prestígio. Coberturas, como a do Carnaval do Rio de Janeiro, que hoje são de alto valor comercial, devem parte de sua valorização à Manchete, que sempre apostou pesado nos desfiles. Outros eventos esportivos, como a Copa do Mundo, também tiveram atenção especial por parte do núcleo de jornalismo.
Porem, a Manchete sofreu uma série de baixas ao longo dos anos 90. O sucesso de "Pantanal", aliado ao bom desempenho de atores e diretores, chamou a atenção da Globo, que trouxe de volta vários nomes e contratou outros da concorrente. Os primeiros sinais de decadência da Manchete foram perceptíveis em 1998. "Mandacaru", na época em cartaz, apesar de bons números, exigia altos investimentos e não tinha um bom retorno comercial. Os noticiários e a linha de shows também já não vinham com o mesmo apelo de antigamente.
A maior parte das afiliadas migrou para a Band, Record e SBT e a gestão dos herdeiros de Adolpho Bloch, falecido no fim de 1995, após um certo êxito no começo, começou a desandar. Chegaram até à recorrer a uma parceria com a Igreja Renascer em Cristo, mas tudo definitivamente acabou quando o empresário Amilcare Dallevo comprou o espólio do canal. Para fugir das dívidas, ele fechou a Manchete e utilizou a concessão para criar um novo canal, a RedeTV!.
A RedeTV! chegou a manter alguns nomes da Manchete. Entretanto, em nenhum momento dos seus mais de 13 anos de história, o canal chegou a ter estrutura similar à da antecessora. Até hoje, a RedeTV! jamais veio a produzir uma novela sequer e seu núcleo artístico, de jornalismo e de esportes é bem mais enxuto se comparado ao da empresa da família Bloch.
Atualmente o nome "Manchete" pertence à TV Pampa, afiliada da RedeTV! no Rio Grande do Sul. Desde o fim da Manchete, rumores surgem com frequência sugerindo uma retomada da emissora ou o reaproveitamento do nome de alguma forma, o que nunca aconteceu.

Karl Benz constrói o primeiro ônibus motorizado



O primeiro ônibus do mundo não era um luxuoso veículo de turismo daqueles que levam turistas para seus destinos com conforto relaxante. Era um ônibus urbano que ligava as cidades alemãs de Siegen com os vilarejos de Ntohen e Deuz. Hoje em dia, Siegen está a cerca de uma hora de viagem a leste de Köln - imagine quanto tempo levava no passado. Siegen está situada no centro do distrito de Siegerland, uma região montanhosa com pequenos vilarejos. No fim do século XIX, as pessoas não imaginavam viajar 16 km - a distância entre Deuz e Siegen - para trabalhar. O pensamento de andar em um veículo motorizado todo dia pra ir trabalhar não era algo possível à maioria no mundo.
Mas tudo isso começou a mudar em 18 de Março de 1895, às 6:25 da manhã pra ser mais preciso, quando o primeiro ônibus motorizado do mundo, construído por Karl Benz, começou a operar uma linha regular (com tabela horária), de Deuz a Siegen. Isso foi um ano antes de Gottlieb Daimler construir o primeiro caminhão motorizado do mundo. O primeiro ônibus, com um motor traseiro movido a gasolina de 5 hp, conseguia alcançar uma velocidade média de 15 km/h (a velocidade média de um ônibus hoje em São Paulo) e cobria sua linha em uma hora e vinte minutos. A capacidade era pra 8 passageiros, e a viagem custava a cada um 70 pfennigs. Além de ter de desembolsar o que naquela época era uma fortuna, os passageiros geralmente tinham que descer pra empurrar o ônibus nas ladeiras mais íngremes. No verão do mesmo ano, um segundo ônibus da marca Benz entrou em serviço na mesma rota.
Antes mesmo de completar um ano, a primeira linha da Siegerland teve que ser descontinuada, já que a rota se mostrou muito acidentada para o veículo.
Mas o desenvolvimento de novos ônibus não parou. Nos anos que se seguiram novas linhas de ônibus surgiram, e eram operadas não só com ônibus Benz, mas também com os ônibus recém-criados por Gottlieb Daimler. Se virando com um motor de apenas um cilindro.
O primeiro ônibus Benz tinha uma carroceria da marca "Landau", um modelo de mesmo nome. Em termos técnicos, o ônibus era baseado no Viktoria - automóvel da marca Benz - e era movido com um motor traseiro de 1 cilindro e 4 tempos, que passava a força para as rodas traseiras através de uma corrente (como em uma bicicleta). Os carros Benz tinham como opcional uma versão com carroceria landau, com teto dobrável ou fechado desde 1894.
Estes veículos eram usados, entre outras coisas, para fazer traslados para hotéis... daí surgiu a idéia de usar veículos motorizados para fazer linhas comerciais levando passageiros entre os diversos lugares que eles desejassem ou precisassem visitar. O primeiro ônibus motorizado, de 1895, ainda era no estilo das carroças (ou coches), com suas grandes rodas de madeira e o banco do motorista alto na frente, onde o mesmo não tinha nenhum tipo de proteção contra o vento, chuva e etc, apenas um pequeno teto, que dava uma noção de segurança. Já os passageiros ficavam dentro da carroceria (o motorista ficava fora), que era fechada e tinha grandes janelas. O peso de um ônibus desses era de apenas 1,200 kg. O preço? 6000 Marcos alemães.

Receba Acontecimentos históricos no seu Email